quarta-feira, 10 de março de 2010

Mitos que envolvem a gravidez

by Site Igeduca

Muitos mitos giram em torno da segunda gravidez. Assim como na primeira, a mulher deve tomar cuidados com a saúde e fazer um bom pré-natal para avaliar as condições dela e do bebê. É importante também não dar ouvidos a crendices que cercam a segunda gravidez. Cada gestação tem suas características próprias e uma pode diferir completamente da outra ou não, dependendo de cada mulher.
Ter dúvidas novamente a respeito de enjôos, crescimento do bebê, rapidez do parto e o perigo da eclampsia é normal. O melhor caminho é expor tudo para seu médico que pode orientá-la da forma correta, fugindo de crendices populares.
A única coisa que de fato acontece é que na segunda gravidez a barriga pode ser percebida mais rapidamente, pois o corpo da mulher é influenciado pelas gestações anteriores. Na primeira, pele e músculos esticam para acomodar o útero, a placenta e o bebê. E como já distenderam anteriormente, vão acomodar mais rapidamente o útero e o bebê em crescimento nas gestações seguintes.
Abaixo, destacamos alguns pontos que costumam ser alvo de informações errôneas.
Enjôo
Ter enjoado na primeira gravidez não significa que a mulher estará livre desse incômodo nas suas futuras gestações. Também é possível levar em consideração o fato de que nem todas as grávidas enjoam. Isso acontece em decorrência do aumento da produção de um hormônio chamado gonadotrofina coriônica (HCG) produzido pela placenta desde o início da gravidez. À medida que a gestação avança, os níveis sanguíneos de HCG vão aumentando, até atingir valores estáveis no fim do terceiro mês. Depois, os níveis baixam novamente.
Crescimento do bebê
Não é o bebê que cresce mais na segunda gestação, mas a barriga que aparece rapidamente. Na primeira gestação, o bebê cresce normalmente, mas leva mais tempo para a barriga despontar. Na segunda, a barriga desponta com mais rapidez. A partir da 13ª semana já é possível sentir o útero. Geralmente contam-se sete centímetros abaixo do umbigo. No quinto mês, o útero aumenta mais de tamanho devido ao crescimento fetal mais acelerado em altura do que em peso.
Mas as maiores mudanças acontecerão no terceiro trimestre porque é quando o bebê mais engorda. No final desse trimestre, é possível sentir o útero de 16 a 20 centímetros acima do umbigo.
Rapidez do Parto
O fato de ser uma segunda gestação e da mãe já ter passado pela experiência do parto, não significa que ele será mais rápido. O tipo de gravidez, a saúde e posição do bebê irão influenciar na hora. A decisão de parto normal ou cesariana também depende de outros fatores que não apenas a vontade da mãe. É preciso que haja dilatação e que o bebê esteja na posição correta para o parto normal acontecer com tranqüilidade. Em marinheiras de primeira viagem, o trabalho de parto pode levar até 18 horas.

Eclampsia
A ocorrência da eclampsia independe do número da gestação. Mulheres com tendência à pressão alta podem desenvolver a pré-eclampsia. A pré-eclampsia é uma complicação causada por um defeito na placenta e pode afetar tanto a gestante quanto o feto. A gestante apresenta um grande aumento da pressão sangüínea, passa a reter líquidos e elimina proteínas pela urina. Já o feto cresce com lentidão, porque não recebe alimento e oxigênio suficientes através da placenta.
A pré-eclampsia é controlada com o uso de diuréticos e repouso, mas até hoje não existe uma cura definitiva para ela. Quando não tratada, ela pode evoluir para a eclampsia, uma complicação muito mais séria, responsável por um grande número de partos prematuros e mortes de mulheres. A eclampsia é uma situação de emergência médica em que ocorre o aumento muito grande da pressão arterial da grávida, que pode resultar na morte da criança e da mãe. A única maneira de descobrir a alteração é fazendo acompanhamento pré-natal.
Manchas na pele
Assim como na primeira gestação, manchas marrons podem aparecer no e rosto e no pescoço. Elas são chamadas de cloasma ou máscara da gravidez. Acredita-se que sejam causadas pelas alterações hormonais, que acontecem ao longo da gestação. Normalmente as manchas desaparecem ou clareiam após o parto. O uso de filtro solar diariamente, principalmente na face, pode evitar o aumento de pigmentação no rosto.
Cesariana
O fato de ter feito uma cesariana na primeira gestação não significa necessariamente que haverá necessidade na segunda. Tudo vai depender da saúde da gestante e do bebê e da normalidade da gestação. Ao contrário do que muita gente pensa, é perfeitamente possível uma mulher ter um segundo filho de parto normal tendo tido o primeiro por cirurgia.
Site Igeduca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por ter vindo!